siga-nos | seja fã
PUB
 

Saúde e bem-estar:A poderosa “terapia do abraço”  

Saúde e bem-estar:A poderosa  “terapia do abraço”  
Imprimir Partilhar por email
20-09-2017 - 22:36
O investimento na saúde e bem-estar continua a ser a grande prioridade da ciência.  
 
Uma aposta em terapias naturais, é também o sentido desse investimento, uma vez que, se começa finalmente a compreender que, uma boa parte dos problemas de saúde da atualidade, estão relacionados com o estilo de vida e com as alterações profundas que se vivem nas relações entre humanos.
 
A revista “Prosa Verso e Arte” revelou alguns dos benefícios que se escondem por detrás de “um simples abraço”. Não será de forma alguma “um simples abraço”, muito menos trocado “a correr” que reúne as caraterísticas divulgadas pela ciência, uma vez que, apesar de vivermos um ritmo acelerado de vida, a saúde e o bem-estar requerem tempo, dedicação e a aprendizagem de um novo estilo; uma nova atitude perante a vida e os sentimentos.
 
Numa sociedade onde “tempo é dinheiro”, não deixa de ser curioso falar-se em abraços como forma de felicidade, saúde e bem-estar, mas é mesmo esse o desafio!
 
Os cientistas colocam o abraço como uma terapia natural essencial ao equilíbrio humano e justificam que, “abraçar é uma terapia muito poderosa. É medicinal e acalma”.  
 
A par do abraço está o riso que igualmente reúne um conjunto de benefícios para o ser humano.
 
Os mais recentes estudos dão conta de que, “um abraço pode ajudar no tratamento  de doenças como a Hipertensão, Depressão e Ansiedade que, naturalmente conduzem a estados complicados de vida. Está ainda comprovado que o abraço previne a solidão e os problemas de memória.
 
Uma equipa de investigadores da Universidade de Viena – Áustria, apresentou os benefícios do abraço, deixando alguns pontos essenciais que deverão ser tidos em conta quando se pensa “adotar esta medicina alternativa” como melhoria da qualidade de vida.
 
Entre outros aspetos fundamentais, o abraço precisa de três requisitos básicos: afetividade, empatia e tempo.
 
Os cientistas reforçam este alicerce, já que “muitas pessoas acreditam que o simples ato de entrelaçar os braços nem que seja com um desconhecido, já é o suficiente para obter estes benefícios poderosos. Mas isso não corresponde à verdade. Um abraço levemente trocado entre duas pessoas que mal se conhecem, pode despertar um sentimento de conforto momentâneo, mas não é disso que falamos neste estudo”.
 
De acordo com o autor do estudo, o neurofisiologista Jürgen Sandkühler, “quando não gostamos da pessoa que nos abraça, o nosso corpo liberta cortisol, o hormónio do stress, pelo que se alcança o efeito inverso. Um abraço entre pessoas que não se sentem acarinhadas e em quem não se confia, produz até uma sensação desagradável em todo o corpo”.
 
O mesmo especialista vai mais longe e reforça a ideia de que “um abraço roubado, não transmite outra sensação que não a ameaça e o desconforto, pelo que não vale a pena andarmos à procura de quem nos abrace, mas devemos investir em relações de confiança e amizade entre as pessoas”.
 
Um outro trabalho de investigação levado a cabo  numa Universidade da Carolina do Norte (EUA), dá conta de que, as mulheres são as mais beneficiadas com um abraço, isto porque “possuem um nível mais baixo de cortisol e, quando abraçam ocorre uma descida na pressão sanguínea, o que favorece uma sensação de bem-estar”.
 
Com esta sensação positiva, os especialistas acreditam que, o abraço melhora a saúde do coração, enquanto que o  protege de doenças.
 
Há cada vez mais trabalhos de investigação que demonstram os benefícios do abraço e apontam mesmo para a importância de se cultivar esse hábito diário entre parceiros e nas amizades.
 
As opiniões dividem-se no que se refere ao número de abraços dia´rios, isto porque há culturas onde o abraço substitui o beijo ou o aperto de mão. Apesar de não ser o abraço poderoso para a saúde, por não ser aquele trocado intensamente, os entendidos acreditam que o abraço é a base da sobrevivência humana.
 
Os nórdicos apostam em oito abraços diários, enquanto que os americanos vão até aos doze, falando em terapia familiar diária. Não sabemos ao certo qual será o melhor número para Portugal, mas provavelmente “um abraço por dia, nem sabe o bem que lhe fazia”!
 
Os estudos mostram que, o abraço tem de ser apertado, com os dois corações pressionados um contra o outro, e listam o conjunto de benefícios que passamos a reportar:
 
1 - Construir uma relação de confiança e uma sensação de segurança. Assim, o diálogo entre as pessoas será beneficiado, sendo mais aberto e honesto.
 
2 - Aumentar, instantaneamente, os níveis de oxitocina, que curam sentimentos de solidão, isolamento e raiva.
 
3- Elevar os níveis de serotonina, elevando o humor e gerando felicidade. Para isso, o abraço precisa mesmo de ser longo e intenso.
 
4 - Fortalecer o sistema imunológico. A suave pressão realizada durante o ato de carinho eleva a carga emocional e ativa o chacra do plexo solar. Isso estimula a glândula timo, que regula e equilibra o corpo na produção de glóbulos brancos, que o mantém saudável e livre de doenças.
 
5 - O abraço pode aumentar a auto-estima. A partir do momento em que nascemos, recebemos estímulos de toques dos pais e da família, o que nos demonstra que somos amados e especiais. Os carinhos que recebemos da nossa mãe e pai enquanto crescemos permanecem impressos nas nossas células, pelo que, o abraço tem o poder de nos devolver essa memória e sensação positiva na fase adulta, para continuar a precisar de amar e de ser amados!
 
6 - Relaxar os músculos e libertar a tensão do corpo. Os abraços promovem a circulação sanguínea, enquanto que acalmam a dor e promovem o bem-estar generalizado.
 
7 - Equilibrar o sistema nervoso. Com todos os benefícios já citados, naturalmente que todo o corpo relaxa.
 
8 - Ensinar a dar e a receber. O valor de igualdade é gerado ao recebermos calor e dividirmos esse afeto. Com um abraço forte, percebermos que o amor flui nos dois sentidos.
 
9 - Gerar um resultado semelhante ao da meditação e das gargalhadas, ensinando-nos a estar verdadeiramente presentes naquele momento. O abraço permite um alheamento face à realidade e uma concentração nas sensações positivas que se trocam entre braços.
 
10 - A energia produzida e trocada entre duas pessoas durante o abraço é um grande investimento para o relacionamento. A empatia que dá lugar ao abraço, é a mesma que melhora o entendimento entre as pessoas e a construção de uma relação estável e duradoura.
 
Com todos estes pontos positivos, é caso para dizer que, não vale a pena procurar em tudo à nossa volta, quando em muitos casos, a solução para a saúde e bem-estar, está dentro de casa!
 
Vá lá, abrace e seja mais feliz! A sua saúde agradece.
 
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Estudo alerta: "Tablets" e "smartphones" podem provocar atrasos na fala das crianças



-

Termografia infravermelha



-

Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade



-

Trissomia XYY



PUB
 
NOTÍCIA MAIS LIDA DO MOMENTO
Manifestação em Faro revoltada com "inércia" no combate aos fogos

Manifestação em Faro revoltada com "inércia" no combate aos fogos

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Tavira põe todos a fazer desporto

Tavira põe todos a fazer desporto

ver mais
 
Festa com Ciência junta Noite das Bruxas em Tavira

Festa com Ciência junta Noite das Bruxas em Tavira

ver mais
 
Jovem velejadora de Portimão representa Portugal nas Bermudas

Jovem velejadora de Portimão representa Portugal nas Bermudas

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio