siga-nos | seja fã
PUB
 

OE 2018: Subsídio de desemprego terá maior subida de sempre

OE 2018: Subsídio de desemprego terá maior subida de sempre
Imprimir Partilhar por email
10-10-2017 - 11:48
A notícia é animadora para quem se encontra numa situação de desemprego, já que uma ajuda extra é sempre bem acolhida.
 
A atualização do indexante de apoios sociais vai impulsionar uma das maiores subidas das prestações de apoio a desempregados.
 
Com o desempenho da economia e de a inflação estar neste ano mais alta do que em 2016, o indexante de apoios sociais (IAS) terá em 2018 uma das maiores subidas desde que foi criado, e à boleia do IAS aumenta também o subsídio de desemprego, cujos valores máximo e mínimo terão no próximo ano acréscimos a rondar os 7 e os 17 euros, respetivamente.
 
De acordo com o Diário de Notícias, desde 2012 que o subsídio de desemprego está balizado entre 1 e 2,5 IAS - valor máximo que um desempregado tem direito depois de aplicada a fórmula de cálculo desta prestação social. Como o indexante de apoios sociais esteve congelado entre 2010 e 2016, os beneficiários do subsídio de desemprego que atravessaram aquele período nunca tiveram qualquer atualização.
 
Neste ano, o governo decidiu acabar com o congelamento da fórmula de atualização do IAS e o mesmo se perspetiva para 2018, adianta a mesma fonte.
 
Como a inflação é mais alta e a economia está a crescer, será permitido que  o IAS aumente de forma mais expressiva.
 
Desta forma, a subida do valor mínimo do subsídio desemprego avançará também na mesma proporção. E o valor mais alto que pode ser atribuído a um desempregado sobe dos atuais 1053,25 euros para 1070 euros, o que dá um acréscimo de quase 17 euros.
 
A atualização do IAS irá ter efeito noutras prestações sociais, já que este indexante serve igualmente de referência para o cálculo do subsídio social de desemprego, para aferir os utentes do serviço nacional de saúde com direito a isenção de taxas moderadoras ou ainda, entre outras, para o cálculo das bolsas de estudo dos alunos do ensino superior.
 
A este acréscimo do subsídio de desemprego poderá somar-se o fim do corte dos 10% que atualmente é aplicado a todos os desempregados ao fim dos primeiros seis meses de aplicação. Esta é uma medida reclamada pelo PCP e pelo Bloco de Esquerda, mas a eliminação deste corte está dependente da evolução das negociações em torno do Orçamento do Estado, já que custará cerca de 40 milhões de euros.
 
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

CRESC ALGARVE 2020 lança concurso para cursos de Educação e Formação de Adultos



-

Algarve ligado à Noruega a pedalar



-

Presidente do Instituto da Vinha e do Vinho atribui “enorme potencial aos vinhos do Algarve”



-

SnapCity é “a” App dos turistas no Algarve



-

Câmara de Faro reduz IMI e abdica de 1,6 milhões em receitas de impostos e taxas



PUB
 
NOTÍCIA MAIS LIDA DO MOMENTO
Manifestação em Faro revoltada com "inércia" no combate aos fogos

Manifestação em Faro revoltada com "inércia" no combate aos fogos

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Tavira põe todos a fazer desporto

Tavira põe todos a fazer desporto

ver mais
 
Festa com Ciência junta Noite das Bruxas em Tavira

Festa com Ciência junta Noite das Bruxas em Tavira

ver mais
 
Jovem velejadora de Portimão representa Portugal nas Bermudas

Jovem velejadora de Portimão representa Portugal nas Bermudas

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio