siga-nos | seja fã
PUB
 

José Fernandes Mascarenhas (Moncarapacho)

José Fernandes Mascarenhas (Moncarapacho)
Imprimir Partilhar por email
27-10-2013 - 10:25
Chegou a altura de prestar uma merecida homenagem a José Fernandes Mascarenhas, sendo que para descrever a sua vida e obra, suportamo-nos do trabalho de Idalécio Soares publicado em 2009, aquando foi inaugurada a Casa Museu deste ilustre moncarapachense.
 
 
Este resumo pode ler-se no site da Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão. 
 
Filho de José Pedro Mascarenhas e de Elisa Mariana Pires, José Fernandes Mascarenhas nasceu em Moncarapacho, a 9 de Abril de 1909. 
 
Ainda jovem, estudante no Liceu João de Deus, em Faro, funda e anima, com alguns colegas, as primeiras organizações católicas juvenis na diocese do Algarve e acompanha como guia o eminente etnólogo e arqueólogo Dr. Leite de Vasconcelos, quando este, nos seus trabalhos de pesquisa, visita a freguesia de Moncarapacho. 
 
Em 1928, integra a comissão que, na sua terra natal, promove a restauração da capela de Santo Cristo. Dois anos depois, é co-fundador, com Antero Nobre e Miguel Eusébio Soares, do quinzenário «A Nossa Aldeia», o primeiro jornal que se publica em Moncarapacho. 
 
Concluídos os estudos secundários e depois de frequentar, durante algum tempo, o Curso de Medicina Veterinária, em Lisboa, emprega-se na então Direcção Geral de Estatística, cujo quadro de pessoal passa a integrar, a partir de 1935. 
 
Em 1942-43, durante o serviço militar, em Lagos e, depois, em Lisboa, impulsiona a criação de movimentos de apostolado católico no seio do Exército, nomeadamente «A Obra dos Soldados», de que foi fundador e dirigente nacional, durante vários anos, e cujos estatutos redigiu. No campo religioso, promove ainda a restauração do Nicho de S. Gonçalo de Lagos, nesta cidade, e a fundação do Grupo de Estudos Gonçalinos, iniciativas que culminam, em 1961, com as Comemorações do VI Centenário do Nascimento deste santo e a realização do I Congresso Gonçalino, nos quais teve participação activa. 
 
No plano político, é co-fundador, em 1934, da Casa do Povo de Moncarapacho e empenha-se, através da escrita e de conferências, na defesa do Corporativismo e do Estado Novo. 
 
Apaixonado desde novo pela História e Arqueologia, dedica à investigação uma parte importante do seu labor quotidiano. Da vasta bibliografia publicada desde então, em livros e em jornais, constam várias dezenas de trabalhos, na sua maioria sobre temas algarvios ou relacionados com a sua terra natal. 
 
Durante o período em que vive em Lisboa, é admitido como sócio em várias instituições científicas e culturais e integra, por várias vezes os corpos gerentes da Casa do Algarve, nesta cidade. Ao mesmo tempo, frequenta como aluno voluntário o Curso de Ciências Económico-Financeiras. 
 
O interesse pela Arqueologia leva-o a reunir, ao longo dos anos, um vasto espólio que, mais tarde, lega ao Museu Paroquial de Moncarapacho, de que foi co-fundador, com o Padre Isidoro Domingues da Silva. 
 
Concluída a Licenciatura, é nomeado, em 1963, Adjunto da Brigada Técnica do Colonato do Limpopo, em Moçambique, cargo que passa a acumular, um ano mais tarde, com o de Presidente da Comissão Administrativa da Cooperativa Agrícola daquela localidade. 
 
Em Moçambique, ao mesmo tempo que continua a actividade de investigação iniciada em Portugal, agora alargada a temas da História local, frequenta cursos, profere palestras, publica trabalhos e mantém uma colaboração assídua na imprensa periódica, tanto metropolitana, como daquela colónia. No campo religioso, prossegue o trabalho de apostolado, nomeadamente na difusão do culto gonçalino. 
 
Apesar da distância que o separa de Portugal e que o obriga a visitas espaçadas e curtas à terra natal, lança a ideia de comemorar o 5º Centenário da Freguesia de Moncarapacho e preside, a partir de Moçambique, com a colaboração no terreno de Antero Nobre, à Comissão Executiva das Comemorações dessa efeméride, realizadas em 1971. 
 
Regressado a Portugal e à terra natal, já aposentado, depois de mais de uma década em Moçambique, é eleito Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Moncarapacho, cargo que exerce entre 1979 e 2000. Nestas funções, impulsiona a criação do Centro de Dia e do Lar da Terceira Idade e, anos depois, a construção das suas novas instalações. 
 
Cavaleiro da Ordem de Malta e monárquico, participa em várias iniciativas daquela Ordem e recebe, em 1997, em Moncarapacho, o Duque de Bragança, D. Duarte. 
 
Cumulativamente, intensifica o trabalho de investigação, publicando novos estudos de História e Arqueologia, na imprensa e em livro, e participa em vários congressos, evidenciando até quase ao fim dos seus dias, aos 95 anos, um dinamismo e vitalidade invejáveis. 
 
Nos últimos anos de vida, é homenageado publicamente e é atribuído o seu nome a uma rua de Moncarapacho, bem como à Biblioteca da Escola Básica 2/3 Dr. António João Eusébio. Entre as distinções com que foi agraciado, contam-se o Colar do Instituto de Coimbra, a Medalha de 50 anos de sócio da Casa do Algarve e o Colar de Benemerência da União das Misericórdias Portuguesas. 
 
Em 2004, lega em testamento à Santa Casa da Misericórdia de Moncarapacho, com todo o seu espólio, a casa onde viveu parte importante da sua vida, com o fim de nela ser instalada uma Casa Museu - a Casa-Museu Dr. José Fernandes Mascarenhas que foi inaugurada a 23 de Maio de 2009 no decurso das comemorações do centenário do seu nascimento. 
 
É de salientar que esta Casa Museu acolhe exposições e está aberta ao público mediante marcações para o número 289 792478 
 
(Actualização:29.03.12)
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Manuela Sabino



-

Patrícia Amado



-

Celeste Martins (Moncarapacho)



-

Mário Centeno



-

António João Eusébio (Moncarapacho)



PUB
 
PUB
 
ÁREA CLIENTES
Restaurante Os Arcos
A melhor gastronomia algarvia
ver mais
 
Allô Pizza
Os apreciadores da verdadeira pizza italiana conhecem a casa, local agradável, bom ambiente e boa-disposição.
ver mais
 
Loja das Taças
Se és campeão a loja das Taças põe-te o Troféu na mão
ver mais
 
 
 
NOTÍCIA MAIS LIDA DO MOMENTO
Autarquia de Lagoa apoiou cinco alunos a participarem nos cursos de verão da Ualg

Autarquia de Lagoa apoiou cinco alunos a participarem nos cursos de verão da Ualg

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Autarquia de Lagoa apoiou cinco alunos a participarem nos cursos de verão da Ualg

Autarquia de Lagoa apoiou cinco alunos a participarem nos cursos de verão da Ualg

ver mais
 
PS Aljezur apresentou candidatos às eleições autárquicas

PS Aljezur apresentou candidatos às eleições autárquicas

ver mais
 
SILVES:Grupo Coral da Sociedade Filarmónica Silvense apresenta-se na Casa da Cultura Islmâmica e Mediterrânica

SILVES:Grupo Coral da Sociedade Filarmónica Silvense apresenta-se na Casa da Cultura Islmâmica e Mediterrânica

ver mais
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio