siga-nos | seja fã
PUB
 

Hemofilia

Imprimir Partilhar por email
20-02-2014 - 23:18
Abordar a Hemofilia é compreender que se trata do nome atribuído a diversas doenças genéticas hereditárias que incapacitam o corpo de controlar sangramentos. Tecnicamente, essa incapacidade é conhecida como diátese hemorrágica.
 
Refira-se que, estas deficiências genéticas e um distúrbio auto imune raro podem causar a diminuição da actividade dos factores de coagulação do plasma sanguíneo, de modo a comprometerem a coagulação sanguínea dando lugar a esta complexa patologia. 
 
Neste sentido, quando um vaso sanguíneo é danificado, um coágulo não se forma e o vaso continua a sangrar por um período excessivo de tempo. 
 
O sangramento pode ser externo, se a pele é danificada por um corte ou abrasão, ou pode ser interno, em músculos, articulações ou órgãos, o eu também faz variar a complexidade do problema. 
 
Descrição: 
 
Apesar de já se ter abordado a hemofilia em muitos outros momentos da nossa história, esta patologia ganhou mais expressão em 1803 com os estudos do médico norte-americano John Conrad que descreveu a teoria de que existem tendências a sangramentos em algumas famílias, dando um especial ênfase á causa genética e hereditária da hemofilia. 
 
Este clínico chegou à conclusão de que, para além de se tratar de uma doença hereditária, em regra, acomete mais os homens do que as mulheres. 
Segundo alguns escritos, o termo hemofilia propriamente dito, surgiu pela primeira vez em 1828 através de Hopff da Universidade de Zurique, uma vez que anteriormente se referia o problema como sendo um sangramento. 
 
Em 1937, Patek e Taylor, dois médicos de Harvard descobriram a globulina anti-hemofílica. Pavlosky, um médico de Buenos Aires, separou a Hemofilia A e a Hemofilia B laboratorialmente. Este teste era feito através de uma transfusão de sangue de um hemofílico para outro, isto porque este facto corrigia o sangramento, comprovando que havia mais de um tipo de hemofilia. 
 
Durante as décadas de 70 e 80 do século XX, a falta de outras modalidades de tratamento e a insuficiência de tecnologia para diagnosticar alguns vírus como o da SIDA, desencadeou uma contaminação em grande escala da população hemofílica que dependia de constantes transfusões de sangue de dadores nem sempre saudáveis como seria desejado. 
 
Mesmo com o passar dos anos e com os avanços tecnológicos, existe sempre um risco, mesmo que menor desse contágio, pelo que a hipótese não deve ser descartada de todo, devendo ser tomadas todas as precauções de forma a proteger estes doentes. 
 
Refira-se ainda que, cerca de 75%, da população mundial de hemofílicos não dispõe dos medicamentos básicos para o tratamento desta patologia, ficando ainda sujeitos às transfusões de sangue que lhes podem salvar a vida como também o contrário. 
 
Diagnóstico: 
 
O diagnóstico da hemofilia assenta em dosagens dos factores de coagulação. 
 
No caso de deficiência do fator VIII deve-se procurar diferenciar a hemofilia da doença de von Willebrand, isto porque nesta doença pode ocorrer também uma diminuição do fator VIII. 
 
Tratamento: 
 
É fundamental referir que, até ao momento não existe cura para a hemofilia, no entanto, existem formas de tratamento que visam controlar a doença com injecções regulares dos factores de coagulação deficientes. Alguns hemofílicos desenvolvem anticorpos (chamadas de inibidores) contra os factores que lhe são administrados através do tratamento. 
 
Refira-se que, o nível dos factores tem que ser elevado para +/- 30%. 
 
De salientar que, estes doentes devem ser acompanhados e orientados pelo médico especialista, pelo que a auto-medicação não é uma solução de todo. Depois, mediante o tipo de hemofilia diagnosticado, assim será o tratamento a levar a cabo. Tenha em conta que, jamais se deve substituir o especialista. 
 
Cuidados especiais: 
 
Os doentes devem ser protegidos de traumatismos; devem ser imobilizadas as articulações em casos de hemorragias articulares; o profissional de saúde deve observar e anotar episódios hemorrágicos e adoptar cuidados especiais na realização de tricotomias, lavagens intestinais, aplicação de calor, entre outros procedimentos delicados. 
 
Deve existir um cuidado especial na higiene oral, de forma a evitar sangramentos nas gengivas. 
 
O portador deve fazer-se acompanhar sempre dessa informação num cartão de hemofílico de forma a facilitar o contacto médico em todas e quaisquer situações de vida. 
 
Esse cartão deve conter todos os dados essenciais para facilitar o apoio em caso de necessidade, sem esquecer o grupo sanguíneo, nome completo, morada, familiar que deve ser alertado e que possui mais informações, todos os contactos fundamentais e o nome do médico assistente. 
 
Nota: Entenda este artigo como meramente informativo e um ponto de partida para procurar as melhores soluções para esta doença.
 

 

 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Tem “a mania das doenças”? Saiba que pode mesmo ficar doente!



-

Cuidado com o sal! Um terço dos portugueses sofre de hipertensão



-

Herpes



-

Hipercolesterolemia Familar (colesterol elevado hereditário)



-

Hipnose



PUB
 
PUB
 
ÁREA CLIENTES
Allô Pizza
Os apreciadores da verdadeira pizza italiana conhecem a casa, local agradável, bom ambiente e boa-disposição.
ver mais
 
Restaurante Os Arcos
A melhor gastronomia algarvia
ver mais
 
Loja das Taças
Se és campeão a loja das Taças põe-te o Troféu na mão
ver mais
 
 
 
NOTÍCIA MAIS LIDA DO MOMENTO
Algarve: saiba qual é o supermercado mais barato

Algarve: saiba qual é o supermercado mais barato

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Principal avenida de Portimão com passadeira para peões com mobilidade condicionada

Principal avenida de Portimão com passadeira para peões com mobilidade condicionada

ver mais
 
Site “Loulé Adapta” alerta população para a adaptação às alterações climáticas no município

Site “Loulé Adapta” alerta população para a adaptação às alterações climáticas no município

ver mais
 
14º Festival Med "à altura" das novas tecnologias

14º Festival Med "à altura" das novas tecnologias

ver mais
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio