siga-nos | seja fã
PUB
 

Diabetes

Imprimir Partilhar por email
14-08-2013 - 15:48
Em primeiro lugar, importa saber que, devidamente tratada e controlada a diabetes não impede o doente de ter uma vida perfeitamente normal e autónoma.
 
Contudo, é fundamental que o diabético se ajude a si mesmo, auto-controlando a sua doença. Aliás, se o doente for determinado neste papel de auto-vigilância, a sua vida ficará muito facilitada. 
 
A diabetes é uma doença crónica que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar (glicose) no sangue e pela incapacidade do organismo em transformar toda a glicose proveniente dos alimentos. À quantidade de glicose no sangue chama-se glicemia e quando esta aumenta diz-se que o doente está com hiperglicemia. 
 
Situações de risco: 
 
A diabetes é uma doença em crescimento, que atinge cada vez mais pessoas em todo o mundo e em idades mais jovens. No entanto, há grupos de risco com fortes probabilidades de se tornarem diabéticos: 
 
Pessoas com familiares directos com diabetes; 
Homens e mulheres obesos; 
Homens e mulheres com tensão arterial alta ou níveis elevados de colesterol no sangue; 
Mulheres que contraíram a diabetes gestacional na gravidez; 
Crianças com peso igual ou superior a quatro quilogramas à nascença; 
Doentes com problemas no pâncreas ou com doenças endócrinas. 
 
Sintomas: 
 
Nos adultos - A diabetes é, geralmente, do tipo 2 e manifesta-se através dos seguintes sintomas: 
Urinar em grande quantidade e muitas mais vezes, especialmente durante a noite (poliúria); 
Sede constante e intensa (polidipsia); 
Fome constante e difícil de saciar (polifagia); 
Fadiga; 
Comichão (prurido) no corpo, designadamente nos órgãos genitais; 
Visão turva. 
Nas crianças e jovens - A diabetes é quase sempre do tipo 1 e aparece de maneira súbita, sendo os sintomas muito nítidos. Entre eles encontram-se: 
Urinar muito, podendo voltar a urinar na cama; 
Ter muita sede; 
Emagrecer rapidamente; 
Grande fadiga, associada a dores musculares intensas; 
Comer muito sem nada aproveitar; 
Dores de cabeça, náuseas e vómitos. 
É importante ter presente que os sintomas da diabetes nas crianças e nos jovens são muito nítidos. Nos adultos, a diabetes não se manifesta tão claramente, sobretudo no início, motivo pelo qual pode passar despercebida durante alguns anos. 
Os sintomas surgem com maior intensidade quando a glicemia está muito elevada. E, nestes casos, podem já existir complicações (na visão, por exemplo) quando se detecta a doença. 
 
O diagnóstico: 
 
Se sentir alguns ou vários dos sintomas deve consultar o médico do centro de saúde da sua área de residência, o qual lhe pedirá para realizar análises ao sangue e à urina. 
 
Tipos de Diabetes: 
 
Diabetes Tipo 2 (Diabetes Não Insulino-Dependente) - É a mais frequente (90 por cento dos casos). 
O pâncreas produz insulina, mas as células do organismo oferecem resistência à acção da insulina. O pâncreas vê-se, assim, obrigado a trabalhar cada vez mais, até que a insulina produzida se torna insuficiente e o organismo tem cada vez mais dificuldade em absorver o açúcar proveniente dos alimentos. 
 
Este tipo de diabetes aparece normalmente na idade adulta e o seu tratamento, na maioria dos casos, consiste na adopção duma dieta alimentar, de forma a normalizar os níveis de açúcar no sangue. Recomenda-se também a actividade física regular. 
 
Caso não consiga controlar a diabetes através de dieta e actividade física regular, o doente deve recorrer a medicação específica e, em certos casos, ao uso da insulina. Neste caso deve consultar sempre o seu médico. 
 
Diabetes Tipo 1 (Diabetes Insulino-Dependente) - É mais rara. 
O pâncreas produz insulina em quantidade insuficiente ou em qualidade deficiente ou ambas as situações. Como resultado, as células do organismo não conseguem absorver, do sangue, o açúcar necessário, ainda que o seu nível se mantenha elevado e seja expelido para a urina. 
Contrariamente à diabetes tipo 2, a diabetes tipo 1 aparece com maior frequência nas crianças e nos jovens, podendo também aparecer em adultos e até em idosos. 
 
Não está directamente relacionada, como no caso da diabetes tipo 2, com hábitos de vida ou de alimentação errados, mas sim com a manifesta falta de insulina. Os doentes necessitam de uma terapêutica com insulina para toda a vida, porque o pâncreas deixa de a produzir, devendo ser acompanhados em permanência pelo médico e outros profissionais de saúde. 
 
Diabetes Gestacional - Surge durante a gravidez e desaparece, habitualmente, quando concluído o período de gestação. No entanto, é fundamental que as grávidas diabéticas tomem medidas de precaução para evitar que a diabetes do tipo 2 se instale mais tarde no seu organismo. 
 
A diabetes gestacional requer muita atenção, sendo fundamental que, depois de detectada a hiperglicemia, seja corrigida com a adopção duma dieta apropriada. Quando esta não é suficiente, há que recorrer, com a ajuda do médico, ao uso da insulina, para que a gravidez decorra sem problemas para a mãe e para o bebé. 
Uma em cada 20 grávidas pode sofrer desta forma de diabetes. 
 
Outras complicações associadas à diabetes: 
 
Retinopatia - lesão da retina; 
Nefropatia - lesão renal; 
Neuropatia - lesão nos nervos do organismo; 
Macroangiopatia - doença coronária, cerebral e dos membros inferiores; 
Hipertensão arterial; 
Hipoglicemia - baixa do açúcar no sangue; 
Hiperglicemia - nível elevado de açúcar no sangue; 
Lípidos no sangue - gorduras no sangue; 
Pé diabético - arteriopatia, neuropatia; 
Doenças cardiovasculares - angina de peito, ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais; 
Obstrução arterial periférica - perturbação da circulação, por exemplo nas pernas e nos pés; 
Disfunção e impotência sexual - a primeira manifesta-se de diferentes formas em ambos os sexos; 
Infecções diversas e persistentes - boca e gengivas, infecções urinárias, infecções das cicatrizes depois das cirurgias. 
 
Tratamento: 
 
Diabetes tipo 1 – Os doentes podem ter uma vida saudável, plena e sem grandes limitações, bastando que façam o tratamento prescrito pelo médico correctamente. 
O objectivo do tratamento é manter o açúcar (glicose) no sangue o mais próximo possível dos valores considerados normais (bom controlo da diabetes) para que se sintam bem e sem nenhum sintoma da doença. 
 
Serve ainda para prevenir o desenvolvimento das manifestações tardias da doença e ainda para diminuir o risco das descompensações agudas, nomeadamente da hiperglicemia e da cetoacidose (acidez do sangue). 
 
Este tratamento, que deve ser acompanhado obrigatoriamente pelo médico de família, engloba três vertentes fundamentais: adopção de uma dieta alimentar adequada, prática regular de exercício físico e o uso da insulina. 
 
Diabetes tipo 2 - O tratamento é semelhante mas, devido à menor perigosidade da doença, a maioria das vezes basta que a alimentação seja adequada e que o exercício físico passe a fazer parte da rotina diária para que, com a ajuda de outros medicamentos específicos (que não a insulina), a diabetes consiga ser perfeitamente controlada pelo doente e pelo médico. 
 
Os medicamentos usados no tratamento deste tipo de diabetes são geralmente fármacos (comprimidos) que actuam no pâncreas, estimulando a produção de insulina. 
 
Seguindo uma alimentação correcta e adequada, praticando exercício físico diário e respeitando a toma dos comprimidos indicada pelo médico, um doente com diabetes tipo 2 garante a diminuição do risco de tromboses e ataques cardíacos; a prevenção de doenças nos olhos e nos rins e da má circulação nas pernas e nos pés, factor que diminui significativamente o risco de amputações futuras. 
 
A insulina: 
 
A insulina é uma hormonal hipoglicemiante segregada pelas células beta dos ilhéus de Langerhans do pâncreas, que é usada no tratamento dos doentes diabéticos. Pode ser obtida a partir do pâncreas do porco ou feita quimicamente e de forma idêntica à insulina humana através do uso de tecnologia do DNA recombinante ou da modificação química da insulina do porco.
 
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Doença que afeta mulheres que não fazem sexo



-

Demência: uma realidade na maioria dos idosos institucionalizados



-

Dores a quanto obrigam!



-

Vem ai o Dia Europeu da Doação de Órgãos



-

Dislexia



PUB
 
NOTÍCIA MAIS LIDA DO MOMENTO
4ª Corrida Branca Let's Go Run 2017 na véspera da Noite Branca

4ª Corrida Branca Let's Go Run 2017 na véspera da Noite Branca

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Autárquicas:Coligação “São Brás de Alportel Primeiro” promoveu primeira “Tertúlia pela Causa Animal”

Autárquicas:Coligação “São Brás de Alportel Primeiro” promoveu primeira “Tertúlia pela Causa Animal”

ver mais
 
VILA DO BISPO:Resgatado banhista na Praia da Ingrina com lesão traumática

VILA DO BISPO:Resgatado banhista na Praia da Ingrina com lesão traumática

ver mais
 
Registado sismo a 45 km a sul de Albufeira

Registado sismo a 45 km a sul de Albufeira

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio