siga-nos | seja fã
PUB
 

Amniocentese

Imprimir Partilhar por email
01-05-2014 - 23:02
Importa ter em atenção que, a amniocentese é um método invasivo e que, como tal, acarreta riscos ainda que mínimos para a mãe e para o feto.
 
O exame consiste na inserção de uma agulha fina através da parede abdominal da mãe até ao útero, para obtenção de líquido amniótico (LA). Este teste é realizado sob visualização directa da progressão da agulha, por ecografia, de modo a que esta não atinja o feto. 
 
Idealmente é realizado entre as 15 e as 16 semanas (4º mês) de gravidez. 
 
O LA aspirado para dentro da seringa contém células do feto, as quais podem ser submetidas a diversas análises laboratoriais. Ao fim de alguns dias o líquido entretanto retirado é refeito através da produção de líquido pelo próprio feto. 
 
Sensações após o exame: 
 
É natural que, nos primeiros dias após a realização do exame senta algum desconforto na barriga, semelhante às dores menstruais, ou verificar alguma perda de líquido, muito escassa. Estes sintomas são relativamente frequentes, mas não devem, a priori, ser preocupantes. As dores cedem à medicação com paracetamol e, na grande maioria dos casos, a gravidez evolui sem complicações. 
 
É sempre uma advertência médica que, se a mãe sentir dor forte, perda de líquido abundante ou sangue, ou se tiver febre, deve contactar imediatamente o seu médico assistente. Se tal não for possível, deverá deslocar-se a um serviço de urgência hospitalar. 
 
Cuidados a ter após a Amniocentese: 
 
Por se tratar de um exame complexo e que requer alguma cautela no pós-realização, recomenda-se repouso durante dois dias. No acto do exame o médico obstetra prescreve a baixa-médica de 4 dias que assegura que a mãe vai permanecer em casa e sem realizar as actividades habituais. 
 
Em regra, a mulher deve permanecer 2 dias sentada e deitada para facilitar a recuperação da produção do líquido e, ao mesmo tempo para garantir que o bebé está a fazer o seu processo normal de desenvolvimento. Ao mesmo tempo, este tempo de repouso ajuda a reduzir as dores abdominais que podem ocorrer. 
 
Os resultados do exame: 
 
De um modo geral, existe um protocolo que estabelece a forma como se processa a entrega dos resultados. 
 
Assim, ao fim de 2 a 4 semanas, a mãe irá receber um telefonema, informando-a do resultado do cariotipo do seu bebé. Este contacto deverá ser efectuado no próprio dia em que a informação chegar ao respectivo Serviço onde se realizou o exame. 
 
Posteriormente, irá receber um relatório por correio. 
 
Complicações da amniocentese: 
 
Durante muito tempo, não se acreditava em complicações, no entanto, com o avanço dos estudos, verifica-se a importância desse repouso após a realização do exame e que a mãe esteja atenta a alguns sinais para que os possa minimizar. 
 
Nunca é demais referir que, embora a amniocentese seja uma técnica relativamente segura, existem alguns riscos a ela associados, nomeadamente, hemorragia, infecção, perda abundante de LA e, em cerca de 1% dos casos, aborto. 
 
Sublinhe-se que, o risco de lesão do feto produzido pela amniocentese é quase nulo. 
 
Por outro lado apenas em cerca de 1% dos casos, pode ser necessário repetir a amniocentese devido a um resultado inconclusivo. 
 
Cordocentese: 
 
A cordocentese é outro procedimento invasivo para estudo das células do feto. 
 
Permite a recolha de uma amostra de sangue fetal, mediante a inserção de uma agulha através do abdómen da mãe, até ao cordão umbilical. 
 
Este teste é, também, realizado sob controlo ecográfico. 
 
Efectua-se somente após as 20 semanas de gravidez. 
 
Tem um risco de aborto de 2 a 3 %. 
 
O resultado do cariotipo do bebé demora entre 4 a 7 dias. 
 
Os sintomas que pode sentir após a realização deste exame são semelhantes aos descritos para a amniocentese. 
 
Resultados normais: 
 
É importante frisar até para aliviar as tensões que este tipo de exame possa acarretar que, a maior parte das grávidas que efectuam amniocentese ou cordocentese têm, felizmente, resultados normais, prosseguindo a sua gravidez sem problemas e terminando com o nascimento de um bebé saudável. 
 
No entanto, é fundamental ter em conta que, um resultado normal não exclui a possibilidade de se verificarem outras anomalias fetais não cromossómicas, ou outras complicações da gravidez, como por exemplo, diabetes, hipertensão arterial ou infecções. 
 
Assim, a grávida deverá continuar a vigilância da gravidez no seu médico assistente e realizar, pelo menos, uma ecografia entre as 20 e as 22 semanas para estudo morfológico fetal. 
 
Resultados anormais: 
 
Como o inverso também pode acontecer, infelizmente em alguns casos, os resultados decorrentes dos exames referidos são anormais. 
 
Nestas situações deverá ser feita, através de contacto telefónico, a marcação de uma consulta de Aconselhamento Genético. 
 
Se a decisão do casal for a de continuar a gravidez, receberá todo o acompanhamento médico e psicológico necessário e adaptado a cada situação concreta, com a programação da vigilância, bem como do local e momento do parto, de forma a garantir os melhores cuidados ao bebé. 
 
Serão, também, fornecidos contactos com associações de apoio, de acordo com o tipo de situação diagnosticada, como por exemplo, A Associação de Pais de Crianças com Trissomia 21. 
 
Se a opção for a de interromper a gravidez, o que só é permitido, nos termos da lei em vigor e na maioria dos casos, até às 24 semanas, procurar-se-á assegurar este procedimento, opção na qual o médico assistente deverá intervir. 
 
Todos os casais que tiverem filhos com anomalia congénita, serão referenciados para uma Consulta de Genética, com o objectivo de serem informados do risco de repetição da situação numa gravidez futura. 
 
Interpretar e saber mais: 
 
Nunca é demais conhecer alguns termos que se vão ouvindo ao longo da gravidez de forma a estar em sintonia com o profissional de saúde. 
 
Assim, o termo Anomalias cromossómicas, traduz alterações da constituição ou do número de cromossomas. 
 
Concrectamente os Cromossomas são pequenas formações, localizadas dentro das células do corpo, que contêm os genes. 
 
Por sua vez, os genes são parte dos cromossomas que determinam a aparência física e a função e estrutura dos órgãos, como, por exemplo, a cor dos olhos. 
 
Já mais conhecida, a ecografia para avaliação da morfologia Fetal, significa um exame que vai permitir observar a constituição física e o desenvolvimento dos órgãos do feto. 
 
Como nunca é demais conhecer o funcionamento e os procedimentos médicos que circundam a gravidez, tenha em conta a toma de ácido fólico que deve ocorrer mesmo antes da gravidez, excepto se houver alguma recomendação médica, pelo que, em caso de dúvida, deverá consultar o especialista e prevenir problemas de saúde para a mãe e para o bebé. 
 
Não se esqueça de que estamos na era da prevenção de muitas doenças, pelo que “prevenir, é mesmo melhor do que remediar”.
 
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Vamos ler os rótulos dos alimentos?



-

Sabia que a água ajuda a emagrecer?



-

Consumo de azeite diminui risco de fraturas por osteoporose



-

Sabe o que é Alexitimia?



-

Ansiedade: mulheres têm o dobro das probabilidades face aos homens



PUB
 
NOTÍCIA MAIS LIDA DO MOMENTO
Algarve:Termómetros vão subir ainda mais

Algarve:Termómetros vão subir ainda mais

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
PORTIMÃO:CHAlgarve cria serviço para acompanhamento personalizado aos utentes

PORTIMÃO:CHAlgarve cria serviço para acompanhamento personalizado aos utentes

ver mais
 
Centro de Ciência Viva de Tavira promove ação gratuita para "cativar o público"

Centro de Ciência Viva de Tavira promove ação gratuita para "cativar o público"

ver mais
 
PAN contactou Resort algarvio por denúncias de ataques a gaivotas

PAN contactou Resort algarvio por denúncias de ataques a gaivotas

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio