siga-nos | seja fã
PUB
 

A felicidade é uma questão de sorte?

A felicidade é uma questão de sorte?
Imprimir Partilhar por email
30-11-2015 - 23:18
É comum atribuir o que de melhor nos acontece à sorte, ao destino e “ao que tinha de ser”, sendo que o mérito e o trabalho acabam por passar quase despercebidos.
 
Segundo uma publicação de Marco Esteves no “Dá que pensar”, “a sorte não existe. Pelo menos da forma como é definida. A sorte manifesta-se quando um acontecimento com baixa probabilidade de acontecer, acaba por se concretizar. Por exemplo, ganhar o Euromilhões é sem dúvida sorte.”
 
Tendo por base este ponto de partida, não podemos considerar que a maior parte das coisas que nos acontecem são produto da sorte ou da falta dela, uma vez que, quase tudo depende de escolhas, de talento, de esforço e de muito empenho. 
 
Ninguém encontra um emprego só a acreditar na sorte, muito menos obtém boas notas num exame ou entra na universidade. 
 
O mesmo se passa nas relações amorosas…ninguém consegue manter um casamento, uma relação duradoura só porque “encontrou a pessoa certa.” Tudo envolve tempo, dedicação, empenho, aprendizagem e, posteriormente, conquistas. 
 
Acreditar que “se adquiriu algo ou alguém” é mera perda de tempo, já que mais cedo ou mais tarde se irá perceber que, essa ‘preguiça’ e incapacidade de manter o que se conquistou, dá lugar a perdas sucessivas.
 
No seu apontamento,Marco Esteves reforça que,  ”as maiores realizações que alcançamos dependem simplesmente das opções e consequências dessas escolhas. Para escolher bem precisamos de aprender bem.”
 
O mesmo autor acredita que, “a aprendizagem influencia diretamente as opções que fazemos. Há quem diga que as melhores escolhas em momentos críticos são aquelas que surgem em primeiro lugar e que o excesso de pensamento por vezes faz perder o ‘timing’ da escolha e não produz resultados positivos. 
 
À partida, alguém que aprendeu mais cometerá menos erros do que outro num estágio menos evoluído. 
 
Curiosamente esta é uma das bases de alguns algoritmos de inteligência artificial.” Neste sentido,“a maioria das coisas boas que nos acontece provém do nosso trabalho, de esforço reconhecido como mérito. O mérito não é um meio, é um fim.”
 
Qualquer um é capaz de mudar o que parece impossível de alterar. “Não conheço nenhuma pessoa realmente persistente que não tenha alcançado os seus objetivos. Por vezes demora, por vezes parece que tudo é impossível, mas a persistência aliada ao trabalho acaba por resultar!”
 
Tudo começa na imagem que temos de nos mesmos e naquilo que concretizamos em função do que somos e do que queremos ser. É fundamental compreender as limitações para as poder superar ou transformar em algo positivo. 
 
“Se tivermos em conta que, apesar de não dominarmos tudo, a maior parte das ações e escolhas que fazemos são da nossa responsabilidade, saberemos que, quanto mais exigentes formos para connosco próprios, melhor será o produto final. Depois, não se pode passar a vida a ‘contar com o que a sorte nos reserva’, mas sim procurar concretizar.”
 
Um relacionamento não é duradouro, muito menos gratificante se não existir momentos de dedicação e compreensão de parte a parte. O mesmo se passa com os negócios que fazem a diferença na nossa sociedade entre o crescimento e o declínio.”
 
É fundamental ter em conta que, tudo exige entrega, inteligência, conhecimento e “leitura da realidade”.
 
Muitas pessoas dizem-se infelizes e insatisfeitas (e o português é mestre nisso!), pela sua forma apática e resiliente de estar na vida. “Uma coisa é tentar compreender e melhorar, outra é adotar uma atitude passiva que nada concretiza ou evolui.” 
 
O pensador Marco Esteves realça que, “a felicidade é uma forma de estar na vida. Luta-se pela felicidade; por momentos alegres e que nos permitam sentir boas emoções. Quem nada faz em prol do seu bem-estar, acaba por não conseguir ser feliz, pois esse estado gratificante é o produto do trabalho de cada um.”
 
É feliz quem procura momentos de felicidade, quem luta por uma vida harmoniosa e quem pensa na felicidade como algo concretizável. É feliz quem acredita ‘que nada nos cai do céu’ e que, se temos ‘uma ajudinha’ da sorte, é porque já trabalhamos muito por merecer algo e, a recompensa é mais um momento positivo.
 
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro



-

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!



-

Sabe identificar um sociopata?



-

Mitos e verdades da vida “mais saudável”



-

Pessoas alegres e positivas vivem mais e melhor



PUB
 
PUB
 
ÁREA CLIENTES
Loja das Taças
Se és campeão a loja das Taças põe-te o Troféu na mão
ver mais
 
Allô Pizza
Os apreciadores da verdadeira pizza italiana conhecem a casa, local agradável, bom ambiente e boa-disposição.
ver mais
 
Restaurante Os Arcos
A melhor gastronomia algarvia
ver mais
 
 
 
NOTÍCIA MAIS LIDA DO MOMENTO
FARO:Passados treze anos, Largo das Mouras Velhas está requalificado

FARO:Passados treze anos, Largo das Mouras Velhas está requalificado

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Polícia Marítima fiscaliza atividade de venda ambulante em Albufeira

Polícia Marítima fiscaliza atividade de venda ambulante em Albufeira

ver mais
 
Câmara Municipal cede terreno para a nova "casa" da Polícia Judiciária em Portimão

Câmara Municipal cede terreno para a nova "casa" da Polícia Judiciária em Portimão

ver mais
 
Com o «Guia Algarve» da RTA tenha "à mão" 200 eventos em junho

Com o «Guia Algarve» da RTA tenha "à mão" 200 eventos em junho

ver mais
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio